Sair de casa me d preguia. Braslia no ajuda muito. Sou completamente por fora dos lugares "in", dos points da moda. Pior ainda, sou completamente esquecido, e quando tento lembrar de algum lugar legal aonde fui, passo apuros.

Da me ocorreu a idia de tomar nota dessas coisas. Bares, boates, pubs, restaurantes, festas, qualquer coisa que seja alm da rotina casa-trabalho. Com impresses, referncias, preos (isso importantssimo para um capricorniano como eu), observaes diversas.

Como saio pouco, acho que pode ser interessante compartilhar essas opinies, na esperana de receber de volta as mesmas informaes de quem descobrir lugares legais na capital...



Bar - Mont Sion PDF Imprimir E-mail
Esse é daqueles bares sempre cheios, com um estilo mais puxado pro botecão mesmo. O Mont Sion é relativamente novo e atrai a galerinha mais teen. Já foi mais lotado, na época em que, como quase todos os bares de Brasília, invadia a área pública na maior cara de pau. Parece que a administração do bar foi, misteriosamente, forçada a recuar as mesas para a calçada -- quando isso acontece, normalmente é porque algum concorrente é "peixe" de um figurão da quadrilha do governo local. Enfim. O Mont Sion favorece trocas de olhares e torpedinhos. Mas -- e não exatamente por isso -- não é um lugar recomendável pra quem quer sair com namorada(o), porque é meio "copo sujo" mesmo e um bocado barulhento. O grande destaque: os preços são ótimos.
Leia mais...
 
Bar - Marujo PDF Imprimir E-mail
O que esperar de um bar com esse nome numa cidade sem praia como Brasília? O velho Marujo já teve seus dias de badalação. Já há algum tempo anda meio em baixa, não muito cheio, mas ainda tem bebidinhas e comidinhas legais e, exatamente por não ser lotado, é um bom lugar quando se quer conversar. Chamar de VJ quem muitas vezes é apenas um quadrúpede que troca os DVDs do telão é um elogio, e parece ser isso que acontece no Marujo -- talvez até um bom motivo para o bar ficar meio vazio. O dito cidadão, pelo visto, adora rap americano, e os clipes são umas bostas (é, aqueles negões cheios de roupas escrotas e jóias, andando de Rolls Royce, com umas mulatinhas bem vagabas ao lado e letras imbecis). O jeito é beber, e o Marujo tem umas opções diferentes e interessantes, por preços razoáveis. O momento singular na ida ao Marujo foi a presença de um jovem, bem vestido e de cabelo engomado, sorridente, que é pastor da Igreja de Cristo que passou por todas as mesas pregando e distribuindo aqueles santinhos com trechos da Bíblia. Admirável fé, mas algo um tanto inesperado para o contexto. Você até fica esperando que depois do blablablá o cara tente te vender alguma coisa -- o que não é o caso. Realmente um milagre.
Leia mais...
 
Bar - Bexiga PDF Imprimir E-mail
Sempre cheio, numa quadra onde é difícil estacionar, o Bexiga tem um ar meio retrô que lhe alça um pouco além de um reles boteco. Lugar bacana pra reunir um monte de gente. Destaque para os clipes que ficam passando no telão, visível de todos os cantos do bar (e também da área pública invadida pelas mesas). Em um certo momento, que é sempre o ponto alto da noite, quando se ouve grande ovação dos presentes, rola um DVD do Chacrinha com clássicos da música brega (Jane e Erondy com "Não Se Vá", Almir Rogério com "Fuscão Preto", Sidney Magal com "Sandra Rosa Madalena" e outros do mesmo naipe). Logo em seguida vem um impagável clipe de Reginaldo Rossi com "Garçom" e, pra esfriar os ânimos, Bruno e Mahony -- pelo menos cantando outro hit, "Seu Amor Ainda é Tudo", de Moacir Franco, que foi originalmente gravada por João Mineiro e Marciano. Se o VJ fosse mais esperto, deixava essa sessão brega rolando por muito mais tempo.
Leia mais...
 
PDF Imprimir E-mail
Longe de ser um lugar da moda, o Segundo Clichê também não é nenhuma tranqueira. O próprio nome já indica que é bar de jornalistas, e tradicionalmente muito freqüentado pelos coleguinhas. A pequena parte interior é bem decorada, passa um certo requinte, até, mas as mesas ficam mesmo é na calçada em volta, rodeada por um ambiente agradável. É um bar meio vazião, onde sempre se pode arranjar uma mesa, bom pra levar uma galera pra um happy hour ou algo do gênero, e com uma certa especialização em cachaças de vários tipos.
Leia mais...
 
Bar - Bar do Luiz PDF Imprimir E-mail
Botecão mesmo, copo sujo (americano da Nadir, óbvio), cadeirinhas de plástico da Skol, desconfiável balcão aquecido com uma carne muito esquisita dentro, um violeiro mandando ver no bolero -- assim é o Bar do Luiz. Uma jóia para os amantes do gênero, algo tão trash que chega a ser cult. Nada recomendável para um encontro romântico, mas talvez um lugar engraçado para levar aqueles amigos tão amigos que já é avacalhação.
Última atualização em Seg, 15 de Maio de 2006 00:51
Leia mais...