1.042 votos de mudança!!

Padrão

Amig@s e companheir@s,

Nas eleições deste domingo, recebi com muita honra e gratidão 1.042 sorrisos, pensamentos positivos, tapinhas nas costas, demonstrações de confiança, manifestações de indignação, votos pela mudança. Eleitoralmente pode ser pouco — mas pessoalmente é motivo para grande satisfação. Combati o bom combate, nunca exerci tão plenamente minha cidadania, e você fez parte disso. Muitíssimo obrigado!!

Para uma campanha de pouco mais de 3 meses (em contraste com outras de seis anos), com apenas duas aparições de 9 segundos no mesmo dia no Horário Eleitoral Gratuito, sem experiência e sem qualquer estrutura, uns poucos ajudantes voluntários, material mínimo de propaganda e um gasto total por voto de menos de R$ 10,00 (bem abaixo da média do DF), é um resultado excelente.

Mais importante ainda: nenhum desses votos foi conseguido com uma cesta básica, nem com dinheiro, nem com uma promessa de benefício individual, nem por assistencialismo às custas do sofrimento alheio, nem por uso interesseiro da religião das pessoas, nem por meio de propaganda ostensiva, nem com propostas mentirosas e estapafúrdias. Tenho certeza de que são votos qualificados, racionais, críticos, de pessoas que pensam e que não se vendem — daí a representatividade mais que especial deste número.

Enquadro aí até mesmo o voto da Érica, moradora do Varjão que vota no Centro de Ensino Fundamental do Lago Norte — o querido “Coleginho” da minha infância. Na última hora de votação, ela saiu da escola e o pequeno filho foi olhar os micos que pulavam nos galhos das árvores próximas ao portão. Minha mãe estava com o carro parado ao lado do portão, totalmente adesivado, e Érica perguntou se ela conhecia o candidato do adesivo. A moça se surpreendeu com o singelo “é ele!”. E me surpreendeu quando disse “votei em você”. Dei-lhe um abraço. Aí ela explicou que votou em mim porque não queria votar para o candidato “mentiroso” (sic) para o qual o pai dela trabalhava — Benício Tavares. Dei outro abraço. Valeu o dia!!!

A nota triste é que os votos obtidos pela legenda e pelos candidatos do PSOL não foram suficientes para que obtivéssemos uma cadeira na Câmara Legislativa. Cabe a nós agora, com calma e sabedoria, interpretar esse resultado e seus motivos, e pensar em estratégias para que nas próximas eleições tenhamos um resultado melhor. Mas não pense que você jogou seu voto fora — longe disso:

 

  • Fui o terceiro candidato a distrital mais votado do PSOL, e essa representatividade permitirá que, doravante, o partido absorva e considere mais o que você acha importante (isto é, aquilo tudo que fez com que você se identificasse com as minhas propostas e bandeiras).
  • Somos pelo menos 1.043 pessoas com ideias e vontade de melhorar o DF com mais educação, mais igualdade, mais honestidade e cidadania — isso é gente pra caramba!
  • E não menos importante: quando virmos novamente escândalos de corrupção e de inoperância na Câmara Legislativa e no GDF, nós — você tanto quanto eu — teremos toda a autoridade e dignidade para dizer: “eu tentei fazer a diferença. Não tenho culpa nenhuma nisso”. Não que isso se torne “lavar as mãos”, mas será um argumento forte quando quisermos mostrar às pessoas a importância de escolher bem seus candidatos.


Por isso tudo, reitero o agradecimento e a honrada felicidade por ter tido você ao meu lado na campanha, na urna, na panfletagem, nas muitas mensagens e ligações de apoio e congratulações que recebi durante todo este domingo. Mesmo sem um mandato parlamentar, temos muito o que exigir e o que fazer para que Brasília volte a ter dignidade e seja um lugar cada vez melhor para viver. E, juntos nesta missão, nós estaremos mais fortes de hoje em diante.

Muito obrigado mais uma vez, e 1.042 enormes abraços!

Fabricio Rocha

03/10/2010

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *