Coisa de Macho

Fabricio Rocha com pedras quentes no rosto em foto de jornal
Padrão

Nosso repórter deixa de lado o preconceito para contar como é passar horas em um salão de beleza. O resultado? Aprovadíssimo

(Publicado no Correio Braziliense, caderno Coisas da Vida, em 14/04/2002. Digitalizado e publicado online em 04/06/2017. Até hoje eu acho que foi uma das reportagens mais divertidas que eu já fiz. As colegas Christiana Suppa e Rosane Torres imaginaram a pauta e imediatamente indicaram que eu, o cara mais ogro dos cadernos de Informática e Veículos, fosse o repórter participativo…)

Cinco horas ou mais de paparicação, cremes, alicates, loções. Muita mulher não tem paciência para enfrentar isso. Mas os longos tratamentos estéticos de alguns centros de beleza estão conquistando cada vez mais os homens, que até são levados aos salões pelas suas mulheres. Em um só lugar, massagens, aparelhos, corte de cabelo. Prático, pois. Mas ainda é forte o preconceito e a maioria dos homens tem noções pífias de estética. No meu caso, e no de muita gente, isso se resume basicamente a não deixar a barba chegar aos níveis da construção civil, escolher a camiseta do dia de acordo com o calor e o sol que esteja na janela e, quando é preciso usar uma roupa especial, escolher uma entre as cinco gravatas do guarda-roupas.

Para uma entrevista com o presidente, use terno. Festa de formatura? Use terno. Almoço de negócios, recepção de embaixada? Terno. A maior parte dos homens pensa assim e mal tem idéia de o que se faz num salão de beleza, clínica de estética, chame-se lá como for. Eu até já imaginava passar por isso, mas só no dia de casar, o que não há de acontecer antes da Copa de 2006. Então, alguém tem que ir lá, descobrir como é e contar para as outras pessoas — talvez seja essa. inclusive, a forma primitiva do jornalismo. Ignorante no assunto que sou, foi necessário perguntar para as colegas o que significava isso ou aquilo. Foi selecionada para a matéria uma das clínicas de estética que atendem homens em Brasília. Chegando no local, a proprietária do One Day Spa, Erenita Peneira, mostrou a programação do que ela chama de “um dia de príncipe”, um pacote de serviços que varia de R$ 150,00 a R$ 200,00. De fato, havia homens na clínica, além dos cabeleireiros — e lá pelas tantas, já à tarde, o policial que faz ronda na quadra pediu para conhecer o recinto e ouviu explicações sobre os aparelhos e serviços. Depois de cinco horas e meia (!), não era outro homem, mas me sentia melhor— e, principalmente, não deixei de ser homem, oras. Estar jeitoso e bá-si-co até veio a calhar: à noite, no mesmo dia, tinha uma corrida do campeonato de kart da redação. É ou não uma ocasião especial?

MASSAGEM COM PEDRAS QUENTES

pedras quentes pelo corpo

Pedras quentes espalhadas pelo corpo e massagem nos pés: depois do tratamento, o repórter recuperou as energias! Foto: Ronaldo de Oliveira

Elenice Viana é massagista há três anos, trabalha em salões há 14 e usa uma técnica chamada “massagem com pedras quentes”. A idéia que o nome despertou, de imediato, foi assustadora, como pedras pontiagudas em brasa e um calor miserável.
Tremendo engano. Na sala, a maca. Numa estante, um aparelho parecido com as cubas que se vê em barraquinhas de cachorro-quente. É o aquecedor elétrico, onde ficam as tais pedras, submersas em água. São daquelas redondas, lisas. Elenice explica que elas são analisadas por geólogos, pois não podem conter areia, a que as impediria de concentrar energia. Duas fileiras de seis pedras são colocadas em paralelo na maca. e o paciente se deita com as costas bem no meio delas. Outras pedras são colocadas entre os dedos dos pés, nas mãos, sobre os olhos, na testa, no peito — enfim, nos chakras, pontos de energia segundo os hindus. Com energia ou não, a tal massagem é relaxante, apesar de as pedras escorregarem de vez em quando — quase derrubei todas, rindo, quando pensei o que aconteceria se espirrasse. Com uma pedra na mão, Elenice encheu meus pés de creme e apertou-os de tudo quanto é lado. Depois, as pernas. e também costas. É difícil explicar a razão, mas realmente não dá para não esquecer do mundo.

 

LIMPEZA DE PELE

Sabe-se lá por quê, talvez por sadismo, namoradas adoram procurar e espremer espinhas e cravos na pele masculina. A espremeção é inevitável, mas é menos desagradável quando se trata de uma limpeza de pele profissional, que custa R$ 60 na clínica visitada. O processo começa com um sabonete, com cheiro de mel com própolis, para uma limpeza superficial. Depois vem um tal creme esfoliante (é, vem de ”esfolar” mesmo), meio arenoso, que serve para remover células mortas da cútis. Quem tem boa cabeça lembra das aulas de Biologia: a epiderme, a camada externa da pele, é composta basicamente de células mortas. Após o esfoliante, um emoliente — como diz o nome, para amolecer os cravos. Junto com ele, uma máquina que sopra vapor no rosto, para dilatar os poros. Daí começa a extração, com luvas e um. lenço de papel — no caso, feita pela própria dona da clínica, Erenita Ferreira.
Com tanto creme e vapor, dói menos… mas ainda não é bem a melhor coisa do mundo.
Depois, uma loção para fechar os poros e um aparelhinho, com uma luz roxa, que solta pequenas centelhas e tem efeito de desinfecção. Em seguida, oito minutos de máscara com cânfora, relaxante e cicatrizante. O resultado não foi muito perceptível: para limpar mesmo o rosto, são necessárias três seções.

 

ESTIMULAÇÃO RUSSA

Um roupão e um chinelo, cedidos pelo próprio salão, são a vestimenta oficial durante as outras atividades do dia. Uma das que usam equipamentos especiais é a estimulação russa, que, apesar do nome, não tem nada de pornografa, muito pelo contrário. Trata-se de um computador cheio de eletrodos, que são grudados com um gel na barriga e nas coxas.

Com o uso de um programa especial, o computador libera ordenadamente impulsos elétricos, ou choquinhos, que fazem a musculatura se contrair. A sensação é apenas a de um formigamento. O objetivo da terapia é enrijecer a musculatura local. Seis minutos no aparelho podem ser equivalentes a 400 abdominais — sem cansaço nem suor! É um sistema parecido com o de um cinturão esquisito que vem sendo exibido naqueles anúncios horrorosos de ”ligue já’” na televisão.

Saber o porquê do nome do tratamento foi uma curiosidade inevitável. Quando começaram as longas viagens — de seis meses ou mais — dos cosmonautas soviéticos às estações espaciais, nos anos 80, eles enfrentavam um sério problema na volta: devido à falta de exercícios e ausência de gravidade do espaço, mal conseguiam se mover Era preciso inventar uma terapia de recuperação que não exigisse esforços deles — dai surgiu a estimulação russa.

 

CABELO

E lá se vai o cabelo já meio comprido, para dar lugar a um mais, digamos, fashion. Na clínica, o preço do corte masculino é R$ 25 — cinco vezes mais do que eu costumo pagar. Sidney Soares, o cabeleireiro — ou melhor, hair stylist —, mostra um catálogo com vários exemplos. Escolhido o corte, Sidney se esmera na tesoura para honrar os 16 anos de profissão. Pensei se, por acaso, seria possível comentarmos a virada do Fluzão sobre o Flamengo no domingo, como nas barbearias pé-de-chinelo. Em vez disso, Sidney pergunta se já pensei em fazer luzes ou mecha no cabelo. “Não, não, obrigado”.

Depois do corte, lavagem,naquelas pias especiais com encosto para o pescoço e água bem fria. O resultado ficou ótimo, mas só deu para notar à noite: é que, para as fotos, Sidney caprichou no laquê (bem, era algo mais moderno, mas o princípio é o mesmo) e o penteado ficou meio estranho até o banho seguinte. O corte fez sucesso.

 

UNHAS

Durante o corte de cabelo, as manicures Eliane Bezerra e Myres Regina “atacaram” mãos e pés, respectivamente. Eliane mostrou, afinal, o que é a tal da cutícula, uma camada de pele aparentemente inútil nas bordas das unhas. Um creme e água quente amolecem as unhas e as cutículas, que são extraídas com um alicate e uma espátula de metal. Nos pés, Myres descobriu que a unha do meu dedão esquerdo estava encravada — como eu suspeitava, por isso que estava doendo. Desencravar a dita cuja dói um bocado e é demorado, porque não é só na ponta da unha, mas por toda a sua extensão. “Tem cliente que chora”, diz Myres. E no pé direito a mesma coisa. Ao fim de tudo, Eliane pergunta se eu queria base. “Sei lá, põe aí…” O resultado da ignorância foi um desnecessário brilho nas unhas, mas nada que um algodão com acetona não remova rapidinho. Vivendo e aprendendo…

 

OUTROS ENDEREÇOS

Os endereços abaixo oferecem tratamentos de beleza variados, não necessariamente iguais ao descrito na matéria.

  • VIP CLINIQUE – SCLN 202 Bloco B sala 201. Edifício Mônaco Center. Informações: 328-7878
  • MAISON DARCY BICALHO – SHIS QI 3 bloco D edifício Medical Plaza, 2o andar. Informações: 365-1518.
  • RICARDO MAIA HAIR & MAKE UP – SHIS QI 7 bloco D loje 12. Informações: 248-3141 / 364-6222
  • CLÍNICA DE ESTÉTICA ZILDA RESENDE – Conjunto Nacional, sala 4065, 3o andar. Informações: 326-2937.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *